O Gênio e o Mundo dos Vinhos

Postado em 04/05/2021 as 20:08:48

Quem Foi Leonardo Da Vinci ?

Um dos maiores gênios da história, Leonardo da Vinci (1452-1519) foi o verdadeiro protótipo do homem em busca constante do conhecimento, foi o arquétipo clássico da época do Renascimento, amou a universalidade do saber e isso evidencia o porque ele foi um gênio em todos os sentidos da palavra. Foi contemporânea de Michelangelo, Sandro Botticelli, Willian Shakespeare, Nicolau Maquiavel e Rafael Sanzio. Nasceu nas margens do rio Arno, em Anchiano bem próximo da cidade de Florença na região da Toscana, Itália. Filho de um tabelião e de uma jovem camponesa, era um bastardo e como tal, em sua época não lhe era permitido ter uma educação formal. Foi brilhante nas mais diversas áreas como a pintura, escultura, arquitetura, química, mecânica, engenharia, matemática, física, geologia, cartografia, música, anatomia e botânica. E seu envolvimento com o mundo dos vinhos transcende ao estudo das vinhas em si e você leitor já entenderá ao continuar lendo esse artigo.

O Pagamento da Pintura “A Última Ceia” com um Vinhedo

A obra “A Última Ceia” sem dúvida é uma das realizações mais representativas e simbólicas de Leonardo Da Vinci, foi produzida em três anos (1495 à 1498). A obra de arte foi solicitada por Ludovico Sforza, o Duque de Milão, para adornar a parede da Igreja de Santa Maria Delle Grazie (Milão). Após finalizar o trabalho Da Vinci recebeu como pagamento um vinhedo e que na atualidade é chamado de “La Vigna di Leonardo“. Localizado no meio da cidade de Milão na “Casa degli Atellani“. Da Vinci já tinha com tradição a vitivinicultura devido sua origem, ele dedicou-se à agronomia, propôs máquinas para trabalhar a terra, que inclusive eram inovadoras pra época. Investigou o cultivo da uva e registrou suas ideias que envolviam a bebida de Baco. Ele estava profundamente apaixonado por este vinhedo que lhe foi dado, que está inclusive mencionado no famoso “Codex Atlanticus“, sua maior coleção de desenhos e escritos. Chegou a registrar estudos sobre viticultura, a vinificação, preservação de vinhos e até sobre a relação de vinho e saúde. Um mês antes de sua morte (1519), Da Vinci dividiu o vinhedo em dois lotes e confiou um a seu fiel servidor, Giovanni Battista Villani, e o outro a Gian Giacomo Caprotti conhecido como Salaì, seu pupilo predileto.

A Busca do Vinhedo do Gênio

Motivados pelas comemorações de 500 anos da morte do grande gênio Leonardo Da Vinci, uma jornada de trabalhos de pesquisas se estabeleceu e uma grande equipe comandada por Luca Maroni se formou em torno do estudo da “La Vigna di Leonardo“. Enólogos, geneticistas e especialistas em DNA de uvas escavaram o terreno onde se localizava o vinhedo de Da Vinci, levaram onze anos para localizar e restabelecer a vinha dele, que teria ficado em pé por 450 anos até sofrer sua destruição pelos bombardeios durante a 2º Guerra Mundial (1943). Desenhos dos vinhedos, produzidos por Da Vinci, foram usados para identificar o local exato da plantação e como estavam organizadas as videiras. Com o material genético encontrado nas escavações, os especialistas cruzaram os dados genéticos e concluíram que se tratava da casta Malvasia di Candia Aromatica, uva muito popular na época. Os especialistas então procuraram um clone em Piacenza, localizada no sudeste de Milão, e encontraram um que se adequava. Primeiramente as uvas foram plantadas no centro de pesquisa da Faculdade de Ciências da Comida e da Agricultura da Universidade de Milão, após foram enxertadas no local exato e da mesma forma que Da Vinci fez 500 anos antes. Em parceria com a vinícola Castello di Luzzano , após três anos que replantaram as vinhas e em 2018 a primeira safra foi colhida dando origem a réplica do vinho degustado pelo gênio na época, esse estagiou em ânforas de terracota e depois foi engarrafado. Desta safra, pouco mais de 300 garrafas foram produzidas, parte dessas foram leiloada em parceria com a organização que administra o museu onde está a vinha na atualidade “La Vigna di Leonardo“.

A Casta Malvasia di Candia Aromatica

A casta Malvasia di Candia Aromatica possui um conjunto aromático particularmente rico e complexo, que inclui um amplo espectro de aromas primários de laranja, cedro, limão, notas frutadas de pêssego, damasco e floral (acácia, frésia, lavanda). Ela é cultivada principalmente em Emilia e, em particular, nas províncias de Piacenza, Parma e Reggio nell’Emilia, onde é o principal componente de um certo número de vinhos secos e meio-doces, versões espumante e passito As uvas são também o componente mais importante do Malvasia dell’Oltrepo Pavese DOC da Lombardia, que também pode ser seco, doce ou espumante.

Garrafas Vínicas Inspiradas nos Desenhos de Da Vinci

Nas suas mais de cinco mil páginas deixadas com suas inúmeras anotações de estudo, pesquisas e projetos o gênio Da Vinci inspirou através dos seus esboços o designer italiano Alberto Alessi no projeto inovador das garrafas de vinhos  “La Signora Eugenia e il Passero Solitario”, chamada carinhosamente de “Leo“. Essas garrafas lembram os frascos que são usados em diversos laboratórios, conhecidos como Erlenmeyer. Da Vinci desenhou um pequeno esboço em seus “Códigos” e o desenho foi publicado por Luca Maroni no Taster of Wine and Food em 2004, o original do desenho pode ser encontrado na Biblioteca Real do Castelo de Windsor. Há quem diga que na verdade esse estilo de frasco era muito comum na Idade Média. Mas controvérsias a parte, o Alberto Alessi não parou por ai em imprimir no seu projeto das garrafas do vinho “Leo” à menção e homenagem à obra de Da Vinci, ao fundo das garrafas são gravadas os famosos “Nós“. Esse símbolo aparece em pinturas de Da Vinci como “Mona Lisa” e a “Dama com Arminho”, e até tiveram utilização nas artes decorativas do século XVI, não apenas na região da Lombardia, mas em toda a Europa. Da Vinci parece se identificar muito com o nó infinito.

Esboços de desenhos de Leonardo Da Vinci

Colocar em linhas e imagens essas informações sobre o gênio Leonardo Da Vinci e o mundo dos vinhos, foi muito enriquecedor, me fez relembrar inúmeras obras e atividades e foi uma oportunidade de conhecer novos fatos sobre esse ser humano tão diferenciado que viveu na Renascença, a sua genialidade realmente é surpreendente e indiscutível, foi um homem muito a frente do seu tempo e deixou uma riqueza de conhecimentos e sobretudo serve de inspiração para a busca constante do saber.

Um grande brinde ao gênio Da Vinci !!!